Páginas

Aquecimento

Se antigamente essa época do ano me dava o prazer das gotas de chuva caindo na minha cara em meus momentos de sono, se dava o prazer do cheiro de livro novo... Do friozinho da madrugada, que me faziam vestir 3 lençóis... Hoje ele me dá agonia, não existe mais esse friozinho, apenas um enorme calor!
Tá chovendo lá fora, relampeando até, mas aqui dentro é um calor terrível que nem inúmeros banhos cura!
Tá insuportável, é abafado e há momentos em que sou capaz de jurar que estou perdendo os sentidos...

Caramba!

E um dia você acorda e percebe que o tempo passou que tudo tá tão diferente...

OHhhhhhhhhhhh..

Difícil saber se eu mudei, ou se as pessoas mudaram. Se virei o monstrinho, a pré-vilã de novela de quem todos falam mal, pois bem ainda não ouvi. Difícil saber se me tornei assim como eles falam, ou todos simplesmente abriram os olhos e resolveram enxergar todos os meus defeitos ao mesmo tempo.
E eu vou melhorar o mundo ignorando a tonta da minha amiga...
Santa paciência...

Bibliotecárias escandalosas são vocês!

É so eu que tenho medo, ou o tempo ta deixando todo mundo se roendo desse sentimento estranho?
Só eu que penso “pow, mas a gente tá se juntando mundo nesse finzinho de curso, a gente tá se unindo muito, vai doer mais!”.
Será que só eu tenho esse medinho bobo de sair perdendo, como tantas vezes aconteceu com os outros cursos que fiz?
O que aconteceu com o pessoal que estudou comigo no primário? Sumiu...
O que aconteceu com o pessoal do fundamental? Sobrou um ou dois, mas o resto sumiu...
O que aconteceu com o pessoal do meu ensino médio???????? Demorou um pouco mais, mas no fim, virou apenas amizade de Orkut, MSN, sem troca de palavras, de carinho... Apenas mais uma fotinho no meu mural de amigos que não falam comigo... O mesmo aconteceu com o pessoal da informática...
E qual será o destino da Biblio2007.1?


Ser fotinho no meu Orkut? Ser um ícone on line sem voz e sem assunto no meu MSN?
Ser fotografia de tempos perdidos? Ou vídeos no youtube (falando nisso, ainda tô editando os da confraternização... O problema é que vocês falam demais e Mary Pops adora aparecer!)?
Eu não quero isso, e sei que tem gente que também não quer.
Pois, sejamos os encontros anuais que fazemos mensalmente... Acho que 1 dia no ano não nos deixará mais pobres (kkkkk), sejamos horas divertidas sem um único segundo de silêncio.
Quero continuar vendo Mayanna mandar calar vocês, “bando de barangas”...
Quero continuar ouvindo a falta de noção da Cleuuu (CleEEEEEEEEEEEEEEEEUUU)...
Quero continuar a ouvir o sotaque, que ninguém sabe de onde vem, do BÊZTEIRA de Denise...
A voz potente da Manu! (IHh....)...
O olhar desconfiado de Raquel, que sempre parece perdida, mas não quer se assumir, pois acha que vão rir dela! (RSRSRS)
As histórias da Ludymilla, que sempre começa por chamar alguém de sem noção. “Olha a falta de noção da pessoa...”...
O que será de nós sem os “ploblema” de Lydiane pra ouvir?? (E o que será da Lydiane sem a gente pra ouvir os “ploblema” dela?)...
E a risada chorona da Priscila?
E o silêncio misterioso de Kádila? (Droga, cadê aquela foto!)
E o que vai ser da turma inteira sem Vanessa tentando aparecer nas fotos?
E o que vai ser de Rubenita sem o ônibus pro EREBD... Desculpa, Ru, mas ainda não consigo te imaginar falando sobre outra coisa... Aaaaaaaah! Como vamos saber qual dos 100 cavaleiros a Rubenita escolheu??? (hihihhi)
Vou sentir saudade da covinha de Flávia e do “hã, mir’mã?”!
Muitos detalhes de cada uma que guardarei no coração... Lembro de cada um com grande carinho (das citadas e das não citadas)...
Estou tentando fazê-los dependentes desses detalhes para que não se afastem uns dos outros... Não sejamos grupinhos, voltemos a ser “tudo numa coisa só” como só acontece em nossas confraternizações...
E, mesmo que ainda faltem uns... 1 ano e meio (culpa da avó de vocês!)... Queria registrar esse momento de saudosismo que tomou conta de mim...
Acho que vou almoçar que é o melhor que eu faço... E trabalhar, que não é meu melhor, mas tenho que fazer com que acreditem que seja...
Amo vocês, apesar das cobranças, desentendimentos e das muitas raivas que me causaram, suas bando de pó@#$!
Que bom que vocês voltaram!
Eu tive um sonho horrível...
|Beijo|

De tu... um pouco!

Sem paciência para as coisas que se repetem sem previsão de acabar...
Não aguento mais nada!
Sem paciência até para as lembranças que eram boas, e que se perdem cada vez que olhos vermelhos e vozes altas passam perto de mim... Com isso não quero dizer nada, e tudo ao mesmo tempo... Só queria a paz de um colo e uma mão que afaga... E que essa mão não condene a minha por suas loucuras...
Quero que o dito respeito que se perdeu seja esquecido, e sejam lembradas as minhas palavras, láaaaaaaaaaaaaaa no comecinho dito "tenho muitos amigos, e me comporto de um jeito diferente com cada um deles, cê entende, né?".
Antes tudo parecia tão mais fácil de ser entendido...
Hoje as palavras se perdem e eu também... Por que hoje o cara com quem eu comecei a ficar a 1 anos atrás me parece um estranho? Por que o silêncio? Por que a cobrança?
Mil perguntas e nem uma resposta, apenas palavras que dançam e dançam e não nos levam a lugar nenhum, apenas machucados... Apenas feridas cada vez mais profundas vão surgindo... E o "tião" que antes era nossa companhia constante, hoje só nos acompanha se pedir muito...
Saudades da coisa toda se desenrolando naturalmente, sem que alguém saia do carro pra dar aquele empurrãozinho básico pra coisa andar!
Sinto saudade de você, amor, como era antes... Apenas isso...

formspring.me

What music are you listening to today?

♫Viva a tua maneira
Não perca a estribeira
Saiba do teu valor♪

Que que tu quer saber?

Já ouviu falar de Hachiko?

É assim que estou me sentindo hoje... Um cãozinho abandono esperando o retorno de seu dono... Mas me sinto assim com relação a um amigo... O único que dizia que não ligava pra mim, mas o único que estava ao meu lado... O único que me entendia, ou tentava entender...
Sinto falta do meu Eizaburo Ueno...
rsrsrs
Agora tô meio perdida...
Por mais que eu fale, parece que não falei tudo...
Em casa me sinto muito só por não ter com quem conversar, na UFMA tenho que aguentar alfinetadas de gente que não sabe o que acontece na minha vida...
Fora as baixas de amizade que eu sofri... Muitas máscaras caíram nesse último inverno...
Estou cansada...
Sinto falta de um colo, uma mão passando por minha cabeça e um pedido pra respirar...
Ao invés disso, sou recepcionada com um "você não sabe o que é cansaço" e "ela só sabe dormir mesmo"...
Só queria meu canto, minha liberdade de ouvir apenas o que faz bem... De falar apenas o que eu quero e de não ser chamada de burra quando simplesmente me falta o conhecimento que poucos tem.
Eu estou cansada de não ser ouvida, cansada de ouvir risinhos histéricos de gente que só sabe rir se fizer alguém cair nesse caminho.
Agora vou alí fazer a porcaria de uma prova...