terça-feira, 27 de setembro de 2016

Amargo verso

E o sopro que me vem aos ouvidos?
O que seria de mim...
Doces sonhos enterrados em cascatas de informações amargas...
Perde-se o tempo, o gosto, o dom
Faz-se silêncio
Eu queria a paz da infância
A ignorância...
O tempo que era bom, ainda que perdido.



Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Quem escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas pode me chamar de Sol que eu gosto... Acho até que quando as pessoas me chamam de Soraya é um sinal claro de que estão zangadas comigo, sei lá. Só pessoas afastadas me chamam pelo nome... e chefes... e meus pais.. Tenho 30 anos (não parece, né?), muito apaixonada por tudo o que faço (BIBLIOTECONOMIA! BIBLIOTECONOMIA!)... Amante de livros e sentimentos sinceros.

Comente com o Facebook e com sua conta Google: