sábado, 3 de outubro de 2015

[Dica de Leitura] Fazendo meu filme: a estréia de Fani - Paula Pimenta


O livro foi indicação de algumas estudantes da escola em que trabalho e algumas adolescentes que seguem o blog.... Amei.
Sou do tipo que quando a pessoa fala que um determinado livro é a minha cara, já me distancio na desconfiança de que seja uma merda. Mas me surpreendi, viu? Me peguei envolvida em todos os dramas da Fani e compreendendo muito bem tudo o que ela sentia, porque... cara, todo mundo já se apaixonou por um professor e, bem, foram 10 anos tentando namorar meu melhor amigo.
E essa é a história de Fani: uma menina apaixonada por música e filmes, que é apaixonada pelo professor de biologia e demora a perceber o amor quase platônico de seu melhor amigo.... A história é bem mais que isso, mas não quero entrar em detalhes pra não dar muito spoiler do livro... 
A narrativa é envolvente de-ma-is. Você lê e já se imagina deitada em um quarto rosa comendo sorvete e ouvindo a Fani chorar.
Aliás, essa mania dela de cair no choro por tudo e falar, quase orgulhosa de cada vez que derrama uma lágrima.... Caaaaaaaaaaara, é tão eu, Luciana, Rosana e Gabriela! *-* Deu muita saudade, té doido.
E o que são essas entradas de capítulos com citações de filmes? 
Chorei de emoção vendo meu amado George sendo citado... enfim!


SINOPSE (via Skoob)
Tudo muda na vida de Fani quando surge a oportunidade de fazer um intercâmbio e morar um ano em outro país. As reveladoras conversas por telefone ou MSN e os constantes bilhetinhos durante a aula passam a ter outro assunto: a viagem que se aproxima. “Fazendo meu filme” nos apresenta o fascinante universo de uma menina cheia de expectativas, que vive a dúvida entre continuar sua rotina, com seus amigos, familiares, estudos e seu inesperado novo amor, ou se aventurar em um outro país e mergulhar num mundo cheio de novas possibilidades.
QUOTES (peguei emprestado de Amiga, nem te conto!)
“Cada batida do meu coração tem seu nome”.
“Eu sorri pra ele no meio das lágrimas, ele sorriu de volta, e eu percebi que ele estava certo. Aquilo era só o trailer. Agora era que o filme realmente iria iniciar.”
“Na minha cabeça só vinha um pensamento . A porta tinha sido fechada , trancando todos os meus sonhos . E quando eu abrisse de novo , não teria mais nada do lado de fora . Só o vazio”.
“Aquela voz fez com que eu sentisse exatamente o que não queria. Saudade. E saudade, eu descobri, não tem nada de romântico, como os poetas costumam descrever. Saudade é ruim, dói, sufoca, faz com que nada tenha graça e que a gente fique pensando na pessoa que a provoca o tempo todo”.
“Eu já tinha visto cada cena do filme umas vinte vezes, mas aquela sempre me despedaçava. A parte em que a menina saía da casa dele, completamente desalentada, atravessando a rua sem rumo, sempre me destruía”.
_________________________
♫ La Bamba  - Trini Lopez 
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Quem escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas pode me chamar de Sol que eu gosto... Acho até que quando as pessoas me chamam de Soraya é um sinal claro de que estão zangadas comigo, sei lá. Só pessoas afastadas me chamam pelo nome... e chefes... e meus pais.. Tenho 30 anos (não parece, né?), muito apaixonada por tudo o que faço (BIBLIOTECONOMIA! BIBLIOTECONOMIA!)... Amante de livros e sentimentos sinceros.

Comente com o Facebook e com sua conta Google:

Postar um comentário