Páginas

Julgamentos vazios

E você julga, como se mais nada tivesse para fazer... Aponta seu dedo imundo na cara do outro e fala suas verdades, as coisas que acha certas, mas que não é capaz de fazer.
Eu sou assim...
Há poucos dias vi um menino deitado no chão do terminal integração tremendo e babando... Durante quase uma hora me perguntei e julguei as pessoas por não ajudá-lo quando me toquei que muito poderia fazer, mas saí com meus questionamentos, julgamentos e divagações poéticas.
Dizem que quando apontamos alguém, existem 3 dedos apontando pra gente... Aí, abrimos toda mão, apontamos com todos os dedos, como se isso fosse nos purificar de alguma forma... Como se isso apagasse todos os nossos pecados...
A inocência não existe mais nem em bebês de colo... Já no berço aprendemos o "dom" da manipulação, aprendemos a enganar e nos fazer de bonzinhos...
Não existem santos...
Não existem mais pessoas que pratiquem a caridade gratuitamente...
Não existem mais pessoas incapazes de pensar ou praticar o pecado, mas juízes existem aos montes...

De volta á terra

Hoje acordei vendo as cores saudáveis da vida... É como se pudesse ser bem mais que sou... É como se, de fato, fosse amada, imortal...
A morte não está próxima, enquanto não quero que chegue... E eu não quero agora...
A paz tomou conta de mim após conversa com o médico e a descoberta de que o que eu tenho não é aquilo que eu mais temia... Tive paz...
Senti todos os fantasmas indo embora e aqui estou, mais uma vez com meus sonhos, sem o medo de que a morte possa me pegar em meio a realizações...
E vivo a vida, agora sem medo das tempestades...
E vivo o meu dia de cada vez... A passos lentos... Simplesmente amando e valorizando cada segundo....

Lágrimas ocultas

Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida...

E a minha triste boca dolorida,
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!

E fico, pensativa, olhando o vago...
Tomo a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim...

E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!
(Florbela Espanca)

Os dias lembram alguém...

Estou morrendo de preguiça e saudade da minha agenda...
Nos últimos tempos meus desabafos estão sendo apenas desenhos... rsrsrsr
O bom é eu isso não significa nada para ninguém. O chato é que ás veses não significa nada nem pra mim...
Agora passo meus tempos livres fazendo o que eu faria se pudesse sempre (tendeu? nem eu...). Agora estou assistindo sakura... Ontem me escrevi num tal de badoo...
É só besteira...
Recebo um monte de idiotices.... Assim que souber como, tiro o meu do ar...
Um amigo disse que estou muito metida a besta com tantos meios de ficar on line...
Acho que isso de certa forma ajuda...
Enfim, falei muito sem nada pra dizer...
Bom dia!
E hoje o dia lembra o Guiiiiiii... Saudade das conversas longas e da falta de assunto produtiva...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Dias chatos, dias cheios....

Os dias correm e estou quase sem tempo...
Sem tempo pra respirar...
Sem tempo pra cortar as unhas (cortei, mas foi enquanto o sinal não abria)...
Sem tempo pra comer (espero perder uns quilinhos...)...
Sem tempo pra namorar (na verdade, pra isso quem está sem tempo é ele...)...
E aqui, cujo tempo e dedicação deveria ser inteiro para as minhas atividades, não me concentro, pelo medo dos meus resultados... Veremos na quinta...

Saudade

Saudade de Ti, meu bichinho...

É apenas um desabafo antigo...

Sábado eu tive um sonho engraçado...
Sonhei com meu primo, que mal conheço, mas que sei que está doente.
Ele tem leucemia e é mais uma entre trilhões de outros com o mesmo problema... Ele tem só 10 anos.
Sábado eu fui doar sangue pra ele e me cadastrar como doadora de medula. Desde então, "1 em 100 mil", é a frase que corre na minha cabeça... "As chances são poucas!", diz uma vozinha, "pra Deus nada é impossível!", grita a outra!
Passei o fim de semana de cama... Mais tonta do que é costume... Não durmo direito há 4 dias...
Simplesmente, meus tios deram para matar meu primo diariamente.
Entra um médico e pedem para alguém se retirar do quarto... Pronto, o Guri morreu!
Isso está desde domingo!
Num guento mais!
Vejo minha esperança morrer e ressuscitar, tal qual Lázaro...
Tento me apegar aos menores sinais... O sonho!
O sonho deve significar alguma coisa!
Enfim... Tô meio perdida!
Em: 20.01.09

Eu... E coisas pequenas que ninguém sabe...

Eu tenho necessidade de escrever... Ainda que meu português não seja correto, ainda que meu desabafo não seja entendido... Preciso expressar o que sinto de alguma forma...
Quero aliviar meu coração...
Quero deixar um pouco de mim vivo depois da morte... Quero que os próximos me conheçam como realmente fui, e não da forma que muitos contarão... Não quero ser canonizada se santa não fui em vida: não fiz milagres, nunca salvei ninguém, fui egoísta, sonhei muito e fiz pouco pelo mundo.
Eu ri a toa em momentos impróprios...
Eu desejei minha morte em muitos momentos de dor por achar que não aguentava...
Falei que não sentia para não machucar uma pessoa... e fiz o contrário também...
Pedi distância por muito tempo por conhecer meu comportamento e meus sentimentos com a aproximação...
Peço em minhas orações para não estar viva pra ver alguém da minha família morrer...
Eu sempre tive medo de estar sozinha, mas sempre desejo isso em momentos de confusão...
Tenho medo de me apegar às pessoas, mas me apego...
Choro baixinho e no escuro por dores que todos acham que não senti...
Em quase todos os meus momentos de ausência estou conversando com Deus, pois temo dormir antes de orar...
Eu O acuso, mas O amo...

É só sufocar um pouco dão valor pro ar...

Cansei de ficar fazendo joguinhos... Cansei de gente que só sente minha falta quando estou indo embora... Cansei de cobranças por coisas inalcansáveis... Cansei de morrer aos poucos, de dar voltas e voltas e não chegar a lugar algum... De ficar parada olhando meu tempo correr... De dar explicações infindáveis para coisas que nunca acontecem... Cansei das amizades falsas, das caras e bocas para o que não há explicação, dos pedidos de desculpas para erros que se repetem, do dia amanhecer sempre que meu sonho está bom... Cansei da mania de alguns de chamar atenção pra si, querer brilhar em meio a luzes apagadas...Enfim... Cansei de tudo, de mim mesma... Cansei da vida, da minha respiração... Isso acontece e está repetitivo... Cansei de ser eu mesma, de me sentir sozinha sempre que tem mil pessoas ao meu lado... Cansei de pedir atenção, desejar carinhos... Cansei de achar que pode melhorar, coisa que não acontece muitas vezes... Cansei de ficar calada sempre que há coisas para ser dita... Cansei de ficar parada, sabendo que existem lugares para ir, pessoas para conhecer e problemas pra resolver... Cansei de me perder em sonhos, de não poder falar com ninguém quando acordo de madrugada... De não ter companhia para o almoço... De não encontrar ninguém pra conversar quando chegar em casa... Cansei de tanta coisa e de nada que fico confusa... E falo coisas que não posso, não deveria falar... Falo o que não sinto em tons de brincadeira e sou levada a sério e isso me cansa... Mais do que qualquer coisa... Cansei de desejar ficar sozinha sabendo que assim estou sempre...
Desculpa aos que me acompanham... Acho que isso é solidão crônica...
Amo vocês de qualquer forma...