sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Eu, que ainda não posso amar...


No fim do ano passado conheci um doido através da página do evento de uma missa em latim no facebook. Fiquei com algumas dúvidas sobre o evento, e ele me esclareceu tudo... Aí me adicionou pro caso de eu ter alguma dúvida.
Entre as várias polêmicas das nossas conversas, acabou nascendo um carinho muito grande dos dois lados... E a gente meio que começou a se comportar como namoradinhos... Crisinhas de ciúmes e tal...
A gente se conheceu pessoalmente em meados de janeiro... A nossa relação ficou mais intensa, tanto que passamos a dar apelidinhos um pro outro, chamar de amor, e até falar de amor... Apesar de várias diferenças... Eu sou meio escancarada, ele é meio fechado... Eu sou tímida, ele é meio assanhado... Eu tenho 27 anos e ele apenas 22 (completados semana passada, não vale!)... A diferença de idade parece pouca, mas pra mim é um peso enorme! Porque tudo que acontece, eu vou sempre apontar o fato de ele ser mais novo como culpado.... E, pra ser bem sincera mesmo, eu queria namorar um cara bem mais velho, mais maduro...
A gente ficou no dia 1º de fevereiro... (de verdade! Com beijo na boca!).
Só que, quando a relação sai do encantamento do virtual e vira realidade, ela não sai com o mesmo tempero... A gente imagina demais quando conversa por bate-papo, hangout, whatsapp, sms, e-mail... A gente imagina demais e a realidade passa a não ter um brilho tão intenso... Porque quando saímos do virtual o ciúme deixa de ser engraçadinho, fica irritante... As brincadeiras do virtual, ficam chatas no mundo real... E aí vai indo... Fora que a gente briga desde o primeiro "oi" do bate-papo! Fora que ele é muito carente... Fora que eu faço as coisas que eu sei que o irritam pelo prazer de brigar com alguém.
Eu não sei explicar o motivo, mas não consigo pensar em continuar o namoro... Ainda que eu não consiga pensar em ficar longe dele... É tosco, né?
Tenho medo de perder a amizade dele pelo simples fato de que eu não consigo amar agora, do jeito que ele quer. Me sinto péssima só de pensar que posso estar com alguém que gosta de mim e que eu não consigo corresponder... Por isso acabou.
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Quem escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas pode me chamar de Sol que eu gosto... Acho até que quando as pessoas me chamam de Soraya é um sinal claro de que estão zangadas comigo, sei lá. Só pessoas afastadas me chamam pelo nome... e chefes... e meus pais.. Tenho 30 anos (não parece, né?), muito apaixonada por tudo o que faço (BIBLIOTECONOMIA! BIBLIOTECONOMIA!)... Amante de livros e sentimentos sinceros.

Comente com o Facebook e com sua conta Google: