Páginas

Sono... Dor de dente... Medo... Frio... Preguiça de banhar!

Estou no meu quarto, deitada na minha cama que fica dentro do meu quarto... Deitada no colchão que fica em cima da minha cama, que ta dentro do meu quarto na dos meus pais!
Jantei... Tô de bucho cheio... Logo, o que sinto aqui não é fome, é dor de dente (sempre confundi as duas coisas)...
Estou com tanto sono que enquanto escrevo isso aqui, meus olhos de tão apaixonados se encontram e se beijam. É a aventura-comediada de olhos que nasceram um para o outro...
Estou fedendo e a preguiça é tanta que não arredo o pé pra banhar... A música cessou... Isso significa que meu MP4 se foi... e agora não poderei usá-lo pra gravar meus pensamentos ao invés de ficar escrevendo esse garranchoooooooooooooooo... Vou dormir...

Escrito em: 28.07.09

Você quem sabe...

Odeio ouvir o “você quem sabe”! 
Em momentos de confusão espero que alguém que esteja do meu lado me dê a mão, diga que me ama e não respeite minha decisão de ficar sozinha, mas tudo o que ouço é um “você quem sabe...” e as costas me são dadas... 
Tudo o que queria era alguém que lutasse por mim, desejasse estar ao meu lado independente de como estou, mas tudo o que ouço e vejo é alguém me dando as costas e dizendo “você quem sabe...”. 
A decisão de tudo está em minhas mãos, meu coração grita, mas a razão sufoca esse som... Eu não sei de nada... Eu não consigo dizer nada... 
Não quero decisões importantes postas em minhas mãos, nem tudo eu sei e hoje estou aqui pra isso... Nem tudo sei, eu repito e todos ignoram! 
A decisão está em minhas mãos e ela só aponta para uma direção... O não voltar, não querer, não ficar, não falar, não pensar, não fazer... E sei o quanto esse “você quem sabe” dói mais do que qualquer coisa, incomoda muito! Eu preciso de alguém pra conversar e por razões óbvias não pode ser com alguém que não me responde ou que tente me convencer do contrário...

Escrito em: 11.08.09

Desabafos de uma QUASE dona de casa...

Uma coisa engraçada nos desenhos de palitinhos românticos é que eles sempre são do mesmo tamanho! Uma prova de que não estou representando ninguém com eles!
Rsrsrs
Acho que meu irmão não foi fã da farofa que eu fiz... Quanto “F”!
Meu sutiã me incomoda... Odeio sutiãs, mas creio que mesmo que não precisasse usá-los, eu os usaria... Sei lá! É constrangedor ficar sem... Quando não usava sempre ouvia comentários maliciosos na rua... Num dá!
O mais chato é ir comprar sutiãs! Os mais caros são pequenos demais! Acho que mulher rica não tem peito grande, pois além de pequenos todos têm bojo com enchimento!
Odeio suar... E ainda tem gente cretina que tem a cara-de-pau de dizer que é “bom suar”... Piadinha horrível...
Eh, né?
Hoje eu não tô romântica, apesar do que deveria reclamar... O que eu deveria reclamar? Estou ficando louca... Tô falando coisas com coisa...
Ok, essa coisa, vou me livrar daquele prato que tá na pia... Ele tá lá solitário, mas a sensação que me dá é que ele ta aqui, tipo a esponja da Assolan, com uma panela nas mãos, rebolando com o som de uma música chata que dói nos ouvidos... Com a frase LAVA-ME escrito no fundo com o óleo da farofa...
Aff... Sim eu assistia O fantástico mundo de Bob!

Escrito em: 02.08.09

Ir e voltar

Sonhar sonhos estranhos e dividir com a pessoa errada, na hora errada... Sofrer com as respostas e com a falta delas... Achar que fez errado e que faz errado sempre...
Insegurança...
A dúvida do amanhã... A certeza do dia anterior... A confusão do agora... Coração apertado com cada segundo sem resposta, sem uma demonstração mínima de carinho e aceitação...
Por horas, a certeza do agir errado, pensar errado e do não demonstrar... Mas esconder como a dor que lhe estampa a cara? Esconder como a dor que muda o seu tom de voz, o modo de agir?
São segundos intercalando a loucura e a razão, o medo e a segurança, o amor e o ódio... São segundos que viram horas eternas... São segundos que são quebrados por tentativas tolas de fazer alguém se tocar que deveria estar mais ao seu lado...
Nesse momento você vive ápice da auto-piedade... Ninguém é capaz de te amar...

Escrito em: 23.08.09

Dedos estranhos na tua cara...

E você julga como se mais nada tivesse para fazer... Aponta seu dedo imundo na cara do outro e fala suas verdades, as coisas que acha certo, mas que não é capaz de fazer.
Eu sou assim!
Há poucos dias vi um menino deitado no chão do terminal integração tremendo e babando... Durante quase 1 hora me perguntei e julguei as pessoas por não ajudá-lo quando me toquei de que muito poderia fazer, mas sai com meus questionamentos, julgamentos e divagações poéticas.
Dizem que quando apontamos 1 dedo para alguém, existem 3 dedos apontados pra gente... Aí, abrimos toda a mão apontando para o outro, como se assim nos livrássemos de culpas e pecados...
A inocência não existe mais nem em bebês de colo... Já no berço aprendemos a arte de enganar, de manipular...
Debaixo deste céu não existem santos!
Não existem aqui pessoas que façam a caridade gratuitamente... Não existem pessoas incapazes de pensar ou praticar o pecado, mas juízes em terra de ladrão existem aos montes...

Escrito em: 23.09.09

Que não seja apenas sonho...

E, em momento de loucura total...
Encontramo-nos...
E em momento de loucura total...
Entregamo-nos...
Por vezes vi meu rosto perdido...
Muitas vezes me encontrei em teus olhos...
E neles sempre encontrei paz...
Hoje sonho com dias de paz e felicidade
Apenas esqueço...
Nem me dou conta de que isso acontece agora
Na realidade...
Fechei os olhos por achar que fosse sonho
Perdi muito da realidade!
E teu sorriso secou minhas lágrimas
Tuas palavras me botaram pra pensar...
As idéias bobas foram esquecidas...
Tento acordar... No medo de que seja mesmo só sonho...

Escrito em: 05.09.09

Depois de uma briga em um dia qualquer de 2009

E a pergunta que ainda me faço é por que estamos juntos se nossas metas permanecem diferentes? Se nossos sonhos, momentaneamente, iguais se perdem como bolhas de sabão em um mergulho mais alto para tentar ganhar vida... Apenas somem... E ardem em nossos olhos o desespero de meais sonhos perdidos, mais sonhos sem esperança de realizar...
O medo me ataca aí...
Na percepção do quanto sou pequena diante do mundo de coisas que queria viver, mas não posso...
O que hoje decidimos, amanhã não passará de um simples delírio meu... E eu fico tão confusa quando me dou conta disso... Não havia ninguém do meu lado quando fechei os olhos e eu, mais uma vez, sonhei sozinha...
E o agora, os problemas, se fizeram na mudança repentina de valores, de idéias e das confusões que fazem minha cabeça... Já não sei o que sinto... O que quero... Faço confusão sobre quem eu sou...

O fim que não vem...

O mais estranho de tudo é que ele não termina e que eu passo os dias esperando por isso. Eu quero estar pronta quando acontecer. Eu tenho medo de como posso ficar. 
E eu vejo nos seus olhos que já está saturado de minha companhia... Vejo que já não me quer ao seu lado, mas não compreendo por que não termina de uma vez. 
Tento matar cada sonho pequeno que tive ao seu lado... Antes que sejam mortos em um só tiro... Tento afastá-los de mim de forma sofrida, como alguém que ainda quer tê-los de volta... Ainda quer sonhá-los, vivê-los... Por nada nesse mundo quero sonhá-los com outra pessoa... 
Passo o tempo todo pensando em coisas pras quais ele nem liga. Tanto que se espanta quando percebe uma mensagem com algumas das questões que me tiram o sono.... 
Talvez eu seja romântica demais... Tudo o que eu queria era alguém que ficasse do meu lado, que me deixasse segura... Eu não casaria por menos que isso... Ele me dava segurança no começo... Tanto que quis casar logo na 1ª semana de namoro! 
O que está acontecendo comigo? Por que não vejo as coisas como eram antes? 

Escrito em: 12.10.09

Cá estou eu, expondo meus excessos de reticências...

Bom, aproveitei o feriado pra transcrever a minha agenda. E é isto que estarei publicando... Não deu pra fazer tudo, tem coisa impublicável (essa palavra existe?) e também, eu descansei, né? 
Acho que publicar coisas que já estão escritas significa que estarei mais relaxada quanto a ESSA COISA... Vou programar pra sair um por dia, assim, quem lê isso, não vai achar muito repetitivo... Sim, eu acho que tá! 
Tava com dor na consciência de ter um espaço e não usá-lo... 
Espero que o povo que lê ESSA COISA goste... E quero ver comentários também! Cês tão muito parados! 
Ouvindo O teatro mágico... Ai, ai... 

Beijo!

Eu quero o prazer de uma amizade sincera.

Nos últimos dias eu conversei muito com meus amigos sobre as mentiras que eles contam para mim. Que eu não sou 100% sincera é fato. Mas que a mentira deles é descabida e cara-de-pau é um fato maior ainda. 
Se quiserem mentir, eu queria apenas o favor de que o fizessem de forma mais... Honesta, de acordo, tende? 
Acho ridículo as coisas que fazem pra “não me magoar”... 
E, o importante na amizade não é o tempo agradável, feliz que passamos juntos, mas o tempo em que podemos continuar confiando naqueles que estão do nosso lado. 
Acho que chegou a hora de decidir se querem ou não continuar do meu lado. Não importa o quanto eu perca com essa pergunta, apenas não desejo que cada vez que eu precisar conversar, me seja lançada uma desculpa idiota logo desmentida involuntariamente. 
Ok, cansei de ser a caçadora. 
Todos tem meu número, meu endereço, meu email, eu cuidei disso pessoalmente. 
A distância da minha casa para as suas não difere das suas para a minha... O custo da ligação para minha casa, ou pro meu celular não será diferente do que custou para eu ligar pra vocês até hoje. E, o tempo que gastam para abrir o seu email para ler o meu, pode ser gasto pelo menos uma vez para me escrever um email, um comentário, um scrap... O que seja. 
Vou cuidar da minha vida. 
Se sentir vontade de conversar, me procura.

Brigada....

Grata pela família que tenho e por todo amor que me é dado pelo Cara que está do meu lado independente das burrices que cometo...
O único a quem devo minhas desculpas pelo que falei, senti e comi, principalmente...
Obrigada pela companhia sincera, Senhor....
Amém!

Ser mulher é muito difícil, meu filho!

Por mais que a gente vá ao médico tentar resolver uma dor de cabeça, ele nos pergunta se existe alguma possibilidade de estarmos grávidas... Basta ser mulher pra alguém achar que você está grávida, que seus problemas são só TPM e que qualquer calor pode ser o tal do climatério... Fora os perrengues: aguentamos dor de parto, dor de cólica, dor de amor, dor de cotovelo e as dores que os homens não se acostumam nunca, mas que para a gente é... Coisa pequena. 
Somos o sexo frágil mais forte, e ninguém viu... 
A gente passa o dia ralando na cozinha, tentando organizar a vida dos outros e não ouvimos nenhum reconhecimento, nem vindo de outra mulher! 
A gente sangra litros todo mês, a gente aguenta quem mais amamos dizendo que nos odeia e o quanto somos incompreensíveis... Mas, afinal, alguém parou algum segundo para tentar resolver nossos problemas como passamos noites e noites acordadas, sem sono, tentando achar uma solução para os problemas de alguém que com certeza dorme? 
Se eu disser o tanto de frases machistas que ouvi de homem que não levantava o traseiro da cadeira e procurava resolver os problemas que EU estava resolvendo, e que era pra ELES resolverem... Se eu contar o quanto vi meninos galinhas, safados, sem vergonhas... Falando mal de uma menina por que ela simplesmente trocou de namorado (sim, ela trocou, não ficou com os dois como fazem muitos de vocês, homens!)... 
Enfim, meu mundo é pequeno, a vivência menor ainda, mas a gente vê tanta coisa, tanta hipocrisia... É tanta dor que a gente engole calada, tanto peso nas costas, tantos calos nas mãos e nos pés... Tantas lágrimas derramadas por nada e por tudo... que... eu só posso dizer isso: não queira ser mulher, filho!

Enjoando...

E quem disse que apenas das coisas pequena sinto medo?
Quem disse que sou capaz de ser grande em situações de pressão profunda? De grandes problemas?
Quem disse que sou capaz de resolver tudo, de encontrar soluções até para problemas ainda não criados?
Quem disse que quando eu era pequena eu quis ser grande?
Cabeça confusa... e escandalosa essa minha...
Todos os meus segredos parecem estar sendo revelados... E eu achei que tinha escondido tão bem quem era a verdadeira vilã da minha história!
Na verdade, acho que cheguei a contar aqui mesmo tudo isso.
Agora tento me matar comendo chocolates...

Confissão do dia...

Ontem estava tão bêbada de sono que li a mensagem de Fernando e da minha tia, mas até agora não lembro de tê-las lido. 
Me encontro confusa... 
Novidade? 
Nenhuma mesmo! Apenas que quase morri nas últimas 24hs e a maioria de vocês ignora esse fato. Ok, a maioria de vocês ignora a minha vida também... Foi mal! 
Tô tentando me manter em pé, caso contrário amanhã não conseguirei levantar e encarar meu dia como devo... 
Nos últimos dias tenho reclamado pra caramba das minhas amizades meia-boca. Hoje voltou aqui para trazer a realidade um fato que não quero que os outros usem futuramente como desculpas. Eu não sei pedir ajuda. E nego que precise por mais que precise... Confuso? Confusa sou eu, vocês não perceberam? 
É por isso que às vezes me calo mais do que de costume: EU PRECISO DE AJUDA... E me acho forte o suficiente para não pedir, mas fraca o suficiente pra “jogar”na cara o fato de que eles não estiveram do me lado quando precisei... Sou meio doente, né? 
Ok, essa foi a confissão do dia. 
Até a próxima! 
Beijo!

Ainda que muitas vezes eu duvide...

Para o homem que está ao meu lado tento dar o amor que ele merece... 
Ainda que muitas vezes do seu eu duvide... 
Para a criança que me pede desculpas, 
Tento dar carinho e atenção 
Ainda que muitas vezes eu duvide... 
Faço promessas tolas aos meus amigos por pressão 
Ainda que muitas vezes eu duvide... 
E tento ignorar o barulho que fazem meus inimigos quando passo 
Ainda que muitas vezes eu duvide... 
Tento estar presente na vida de quem amo, 
Ainda que muitas vezes eu duvide... 
E tento rir em meio a lágrimas, 
Ainda que muitas vezes eu duvide...

O_O

Como é confusa a minha mente e amarga são as palavras que queimam em minha garganta...
Hoje me proponha apenas a engolir coisas que poderiam machucar, e ignorar um pouco que as palavras que são lançadas para mim não possuem outra função se não a de me magoar.
Estou cansada de ser apontada, como se de alguma forma eu tivesse enganado alguém.
Estou cansada de ter amizades de momentos, estou cansada da falta de assunto das minhas amizades de longos anos, estou cansada das falsidades, das mentiras, e da dependência que se tornou a minha amizade mais forte (pelo menos agora)...
Eu tenho medo do que o futuro reserva.
Tenho medo das ameaças que me são feitas quanto a algumas amizades...
Tenho medo da condição da existência de uma...
Por que a criança da dupla sou sempre eu, e o outro não enxerga que impor condições torna tudo mais complicado...?
Por que é sempre mais fácil enxergar meus defeitos, minhas falhas...?
Por que as amizades que sempre me são negadas são as mais verdadeiras...?
Por que aqui estou, e estou sozinha... Sem a disposição de antes de correr atrás, sem a falta de noção de procurar quem nunca quer nada além de roubar o meu tempo com egocentrismos, com mentiras, com o silêncio...
Decidi que perto de pessoas mudas não ficarei um segundo sequer...
Perto das mentirosas só ficarei o tempo suficiente de fazê-las compreender que sei a verdade...
Para as pessoas egocêntricas, deixo apenas o tempo fazê-las compreender que elas só são o centro se estão sozinhas. Eu tenho uma vida e meus próprios problemas!
Quero do meu lado quem me quer por perto e quem entende que o tempo fortalece amizades a ponto de não ser necessárias mentiras para poupá-las de crises que só existem pelo medo idiota de que a verdade pode destruí-las.
Estou confusa e prefiro abraçar minhas pernas a aqueles que apenas pensam que me entende e que falam coisas totalmente contrárias ao que eu sinto pra me consolar.
A dúvida é... Deixo que o tempo traga as respostas ou indago cada um sobre o futuro de nossas relações?
Estou cansada...

1 ano de paciência... Eh, é amor!

Essa semana faz 1 ano que eu e o Nando estamos juntos.
O meu grande vício....
Ás vezes tenho a sensação de que tô ficando louca, agora sei o quanto carinho e atenção causam dependência... Companheiro e amigo... Só Deus sabe dos perrengues que agüenta do meu lado, do quanto me viu sofrer por bobagens, do quanto pudemos rir juntos de coisas sérias!
Eu juro que não pensei que fossemos chegar tão longe!
Companhia sincera, meu marido postiço (pois só o será de verdade quando superar o pão-durismo e puser um anel de verdade nesse dedo aqui, ó!)...
Eu te amo muito... Esse é o resumo da história!