sexta-feira, 26 de setembro de 2014

[Dica de leitura] Tamanho 42 não é gorda - Meg Cabot


Não, não é um livro de auto-ajuda.
Embora eu vista 42 e me desespere por isso, ainda não desci ao ponto de começar a ler livro pra aprender a aceitar meu peso... Estou fazendo exercício.
Voltando ao livro...
O livro conta a história de Heather Wells, uma ex-popstar, no estilo Britney Spears, que perdeu a grana, o contrato e o namorado da forma mais trágica (ela encontrou uma outra cantora fazendo boquete nele). A única coisa que aumenta, ou melhor, a única coisa que Heather conseguiu ganhar na vida adulta foi peso. 
Heather, agora com 28 anos, mora com o irmão do ex-namorado (de favor, e não como casal) e trabalha como assistente da diretora de um alojamento (residencial estudantil).
Se eu contar a história do livro, vocês vão achar que é uma comédia sem graça... Mas na verdade, é uma comédia que puxa pro mistério, que pega um pouco de aventura e romance policial... 
Ah... Eu gostei do livro!

SINOPSE
Heather Wells está no fundo do poço: perdeu seu namorado, nenhuma gravadora se interessa por suas músicas, ganhou peso e só entra em roupas tamanho 42, o pai está atrás das grades e a mãe fugiu para Buenos Aires com suas economias - e seu agente! Mas, aos poucos, as coisas parecem que vão se ajustar. Ela consegue um novo emprego como inspetora em uma faculdade de Nova York e está feliz com seu novo manequim. Mesmo sem o glamour e glória dos dias de ídolo teen, tudo parece ter melhorado. Ou será que ela está enganada?
De uma hora para outra, uma estudante morre misteriosamente no poço do elevador do campus. Os policiais e a diretoria estão prontos para declarar a morte como acidente, mas Heather conhece os adolescentes, e meninas não brincam com elevadores. Ainda que ninguém esteja muito interessado em ouvir suas suposições - mesmo depois que outras estudantes aparecem mortas de maneiras igualmente corriqueiras e sutilmente sinistras -, Heather decide entrar numa enlouquecida caçada para descobrir a verdade.
À primeira vista, a vida de detetive pode parecer uma irresistível aventura, com altas doses de adrenalina, mas a realidade é potencialmente perigosa. Alguns riscos podem ser fatais e nada é capaz de irritar mais um assassino do que uma ex-estrela pop corpulenta enfiando o nariz onde não é chamada...
FRASES DO LIVRO
Não me lembro de qual foi à última vez em que consegui entrar em um tamanho 38. Bom, lembro sim, mas não é um período do meu passado que me agrada em especial.
E ele gosta de mim. Porque ele por acaso gosta de garotas legais.
Então me condeno por me sentir assim. Ela continua sendo uma menina de 18 anos morta, independentemente de ser ou não uma das minhas funcionárias estudantis.
Vou me apaixonar por algum outro cara assim que der. Juro. Mas, enquanto isso, qual o problema de eu aproveitar a companhia dele?
Estou tentando impedir que um psicopata mate mais uma vez. Já não basta? Preciso de uma aliança no dedo também?
Algumas pessoas nunca ficam satisfeitas.
DESTAQUE
"[...] BIBLIOTECÁRIAS QUE TRANSAM NAS MESAS DE ESTUDO...". (CABOT, Meg. Tamanho 42 não é gorda. Rio de Janeiro: Galera Record, 2013. p. 39).

Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Quem escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas pode me chamar de Sol que eu gosto... Acho até que quando as pessoas me chamam de Soraya é um sinal claro de que estão zangadas comigo, sei lá. Só pessoas afastadas me chamam pelo nome... e chefes... e meus pais.. Tenho 30 anos (não parece, né?), muito apaixonada por tudo o que faço (BIBLIOTECONOMIA! BIBLIOTECONOMIA!)... Amante de livros e sentimentos sinceros.

Comente com o Facebook e com sua conta Google: