Páginas

Não gostei - Quase pronta (Meg Cabot)


Olá, pessoas!
Conclui a leitura do livro Quase pronta e só tenho uma coisa a dizer pra vocês sobre essa porcaria: sem sal.
Quase pronta é o volume 2 do livro Garota Americana, a história é contada por Samantha Madison e se passa 1 ano após ela ter salvo a vida do "Senhor Presidente".
Quando eu peguei o livro pra ler e vi que ela continuava com o David, eu fiquei assim: "oh, que fofinho, o livro deve ser massa então". Mas não é.
Apesar de ter finalmente ter criado coragem pra pintar o cabelo, a Samantha perdeu muito da personalidade dela... Ficou super chato!
O Quase Pronta de que fala o título do livro é pronta pra se entregar... E isso eu achei mais sem graça ainda.
Ela não fala o que acontece, ela só diz que aconteceu e pronto.
Eu sei que o livro é para pessoas muito mais jovens e menos experientes do que eu, uma senhora de 26 anos, mas, sei lá... Acho que quando eu lia livro infantil era mais interessante. U.U'.

SINOPSE (via Skoob)
Samantha foi convidada a passar o final de semana na casa de campo do seu namorado que não é ninguém menos que o filho do presidente! David tem mil atividades programadas para eles, mas Samantha desconfia que ele a tenha convidado por outro motivo. E, se for verdade, ela não tem certeza se vai estar preparada...
Enfim, eu li o livro até o fim pensando que aconteceria alguma coisa assim... Que mudasse minha visão sobre o mesmo, mas não rolou... Esse livro é uma bosta! Meg Cabot deveria ter deixado a história de Sam Madison morrer no primeiro livro!
______________________
♫ Bela mocidade - Boi de Axixá 
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Sobre a louca que escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas me chamam de Sol! Tenho 31 anos, estou tentando me reapaixonar por tudo o que escolho... Sou formada em Biblioteconomia, recém-convertida católica (ainda que batizada desde 1995), estou aprendendo a lidar com a ansiedade e tenho pensado em tentar falar sobre a luta e o aprendizado diário... Viver requer paciência, e eu não tenho.