quarta-feira, 14 de maio de 2014

Carência de...

Créditos na imagem.
Quando a gente fala que tá carente... As pessoas associam logo isso com falta de beijos e de sexo.
Carência é falta de carinho, de atenção, de companhia...
Há pessoas que com um simples olhar já supre toda a nossa necessidade de ter alguém por perto, simplesmente.
Ontem fui ao supermercado e tava pensando nisso... Uma atividade que antes eu fazia sempre acompanhada e rindo, mas que hoje eu faço com o mesmo prazer, ainda que não seja mais tão legal passar pelo setor de panelas, cama, mesa e banho e pensar que aquela garrafa de café ou aquela colcha de cama seriam perfeitas em NOSSA casa.
Não sinto falta de sexo, não sinto falta de beijo... Isso eu encontro em qualquer esquina... O que mais tem por aí é homem vazio a fim de lhe emprestar o corpo nu por algumas horas.... E de graça, viu, Riba! <piada interna>
Agora, onde estão os homens pra nos ouvir? Cadê aqueles caras que seguram nossa mão na caminhada, que nos abraçam nos momentos (e não lugares) mais escuros, que ouvem, dão conselhos, querem o teu bem a ponto de abdicar de festas, chopinhos, futebol e outras coisas porque você precisa de uma força ou um pouquinho de companhia...
Onde se escondem os caras que te encontram sem compromisso, mas com sonhos e desejos tão parecidos com os teus que impossível não crer que exista entre vocês um compromisso.
Não quero um namorado... Esse rótulo não é garantia de nada... Aprendi.
Quero um companheiro pra fazer coisas grandes e pequenas... Estudar junto para concursos, assistir TV no chão da sala num domingo...
Carência é sentir falta de coisas idiotas, talvez.
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Quem escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas pode me chamar de Sol que eu gosto... Acho até que quando as pessoas me chamam de Soraya é um sinal claro de que estão zangadas comigo, sei lá. Só pessoas afastadas me chamam pelo nome... e chefes... e meus pais.. Tenho 30 anos (não parece, né?), muito apaixonada por tudo o que faço (BIBLIOTECONOMIA! BIBLIOTECONOMIA!)... Amante de livros e sentimentos sinceros.

Comente com o Facebook e com sua conta Google: