terça-feira, 13 de maio de 2014

Sobreaquele dia... - em que me declarei pro meu melhor amigo...

Fonte de imagem: Dia de brilho
"O Aécyo falou que não reconhece a amiga dele. Esta está super romântica e chata.
O Duriaux disse que eu fui "tonta" em me declarar em uma "carroça" (ônibus).
A Mônica acha que eu devo esquecer meu passado e o que sobrou dele.
O Nietzsche disse que eu devo tornar a ser o que eu era, o que sou.
O tio Will (Shakespeare) disse que eu devo acabar com o último grão de dúvida que existe em mim.
O tio Raul (Seixas) disse que ele é que não fica sentado em seu apartamento com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar.
O tio Vinícius (de Moraes) ainda repete aquela coisa de "de repente, não mais que de repente"...
O tio Bocage... Ah! O tio Bocage... Ele diz uma coisa muito bacana: "Deus, ó Deus!... Quando à morte a luz me roube/ ganhe um momento o que perderam anos/ saiba morrer o que viver não soube."
Me sinto uma burra, idiota... Queria voltar atrás e escolher ficar calada! Queria sumir!
Agora eu sei o estrago que fiz!
Agora eu sinto que a minha alegria se foi... Talvez a amizade tenha acabado!
É verdade, para viver de sonhos é necessário abrir uma padaria....".

>>[Sol No Lenta]<<
Em: 17 abr. 2008.
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Quem escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas pode me chamar de Sol que eu gosto... Acho até que quando as pessoas me chamam de Soraya é um sinal claro de que estão zangadas comigo, sei lá. Só pessoas afastadas me chamam pelo nome... e chefes... e meus pais.. Tenho 30 anos (não parece, né?), muito apaixonada por tudo o que faço (BIBLIOTECONOMIA! BIBLIOTECONOMIA!)... Amante de livros e sentimentos sinceros.

Comente com o Facebook e com sua conta Google: