Páginas

É possível perdoar de verdade.

Fonte de imagem: Espartilho
Hoje estava assistindo um vídeo muito bom do... Vai, gente! Pode começar a rir! É do Padre Fábio de Melo (intensivão!)... O vídeo falava sobre perdoar e reconstruir (Perdoar é reconstruir).
E a moça questionava sobre se era errado não perdoar alguém.. (Eu comecei a escrever essa postagem semana passada... E depois desse video eu assisti outro, eu posso me confundir!)... MINTO!
Ela disse que perdoou uma pessoa, mas não conseguia conviver com ela.
Achei a história interessante, porque eu perdoei pessoas que me fizeram mal, porém vê-las me causa mal estar (tremedeiras, frio, vontade de vomitar... Dizem que é ansiedade em level Hard).
Quando perdoamos de verdade a pessoa já não nos faz mal de forma alguma, ela não causa mais esse mal estar!
Não adianta fingirmos que somos fortes e superiores a tudo! Não somos!
Podemos enganar com palavras, mas o corpo sempre responde de outra forma.
Não precisamos ter pressa pra perdoar, devemos respeitar nossos sentimentos e pedir diariamente a Deus para saber administrá-los.
Quando a gente perdoa de verdade não sente mais nada. NADA MESMO!
Devemos reconstruir nossa vida a partir do ponto em que o outro destruiu e seguir em frente.
Só seremos felizes assim... Quando entendermos que a nossa felicidade não depende dos outros, mas de nós mesmos...
Só conseguiremos nos sentir bem, respeitando nosso tempo de reconstrução.
E aí sim... O perdão já não é mais só palavras.
______________________________
♫ Cachoeira - Oswaldo Montenegro

Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Sobre a louca que escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas me chamam de Sol! Tenho 31 anos, estou tentando me reapaixonar por tudo o que escolho... Sou formada em Biblioteconomia, recém-convertida católica (ainda que batizada desde 1995), estou aprendendo a lidar com a ansiedade e tenho pensado em tentar falar sobre a luta e o aprendizado diário... Viver requer paciência, e eu não tenho.