quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Dica de leitura - Delírios de consumo de Becky Bloom


Olá, pessoas!
Hoje vim falar do livro "Delírios de consumo de Becky Bloom"... Um livro que recomendo, sem recomendar.
Por quê?
Bom, o livro conta a história de Becky, uma jornalista financeira que vive lascada exatamente na área que atua. Ela é uma consumista louca, que não racionaliza muito na hora de comprar coisas que ela, às vezes, nem usa.
Delírios me irritou um pouco no começo por Becky se mostrar fútil demais... Não, ela não melhorou no quesito futilidade, mas entrou o Luck... E onde entra romance... *-* 
Delírios de consumo de Becky Bloom é o primeiro de uma série de livros de autoria de Sophie Kinsella.
Como já disse, o livro é um pouco cansativo com as narrativas de compras, mas quando Becky fica quebrada de vez, ela vira uma pessoa legal e o livro melhora.

SINOPSE (via Skoob)
Rebecca Bloom é uma jornalista especializada na área de finanças e uma compradora compulsiva. Na realidade, ela nada entende de economia, apesar de trabalhar no ramo, vive fugindo do gerente de banco e inventa meios malucos de conseguir pagar seu cartão de crédito. Romance de estréia de Sophie Kinsella.
FRASE

Marquei muitas frases no livro, mas infelizmente estou sem ele aqui... Destaco então a reclamação da Becky sobre o preço dos museus.
"Por pouco não desmaio de choque. O que aconteceu com o mundo? Estão cobrando a entrada para um museu. Isso é revoltante. Todos sabem que museus devem ser gratuitos. Se você começa a cobrar entrada para museus, ninguém mais vai! Nossa herança cultural será perdida para uma geração inteira excluída por uma barreira financeira punitiva. A nação vai emburrecer, vai ficar ainda mais ignorante, e a sociedade civilizada estará à beira de um colapso".
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Quem escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas pode me chamar de Sol que eu gosto... Acho até que quando as pessoas me chamam de Soraya é um sinal claro de que estão zangadas comigo, sei lá. Só pessoas afastadas me chamam pelo nome... e chefes... e meus pais.. Tenho 30 anos (não parece, né?), muito apaixonada por tudo o que faço (BIBLIOTECONOMIA! BIBLIOTECONOMIA!)... Amante de livros e sentimentos sinceros.

Comente com o Facebook e com sua conta Google:

Comentários
0 Comentários