quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

[Reblogando] A Trágica biografia romântica de Soraya Carvalho – Parte 4 de sei lá... Acho que acabamos aqui! FINAL!!!!!!!!!!!

Fonte de imagem desconhecida
Finalmente, a aposta...
Você, que me conhece, deve estar se perguntando onde enfiei as outras mil histórias... "cadê o cara que casou dizendo que te amava? cadê o Guii? cadê o 'rato'?"... Gente, o Guii eu já contei tantas vezes... O cara que casou não merece espaço nem nos meus traumas e o rato não teve tanta importância assim... Eu resolvi contar apenas as histórias mais românteiguinhas... Simples!
Pois bem...
Mudei de colégio em 2004.
Fui estudar em uma escola pública na Alemanha (que chique!)...
Chegando lá eu conheci esse cara... Muito fofo, todo educado... Passei o ano toooodo paquerando ele de vista... E o cara correspondia meus olhares... Eu amava aquele clima legal, tanto que nem faltava na escola!
Aí, quando chegou o final do ano, mais ou menos (eu tô poupando vocês de detalhes porque tô com pressa, mas se quiserem é só pedir por aqui ou no formspring.me) - um detalhe que vale a pena ser ressaltado... O fim do ano da gente foi em março de 2005... -  O povo da minha sala me ouviu comentando que eu era BV.
"TU NUNCA BEIJOU NINGUÉM?" - toda a turma virou pra olhar espantada... Eu tinha 18 anos...
"Nunca..."...
Daí começou aquela movimentação estranha... as últimas 3 semanas de aula foram um inferno pra mim: piadas, brincadeiras idiotas... enfim! Eu adorava aquele povo, mas eu tava num ponto que não queria mais ver ninguém na minha frente...
Foi aí que eles resolveram fazer a aposta...
Ofereceram 10 reais pro cara me dar um beijo em uma semana... E ele queria tanto o dinheiro que no último dia veio atrás de mim falar que se eu o beijasse ele me daria metade...
Eu não queria assim, eu gostava dele, muito...
Minutos depois da superoferta "me dá um beijo e tu leva metade da grana", a turma toda entrou na sala, fecharam a porta e me empurraram pra cima dele...
Eu sempre sonhei que meu primeiro beijo seria com alguém com quem eu pudesse passar o resto da vida, ou, pelo menos, confiar muitos dias dela... Meu primeiro beijo não foi com esse cara... Acho que eu até chutei ele pra fugir dalí... Mas, antes disso, eu sonhava todos os dias com o momento em que ele chegaria pra mim e me pediria, de uma forma doce e sincera, pra ficar com ele...
Em vez disso, ele veio rindo me oferecendo metade da grana...
Foi a primeira vez, desde que eu cheguei naquela escola que eu desejei ir embora.
Aí, você me pergunta: "Sol, se você já tinha 18 anos, o teu beijo demorou não foi por causa da aposta... foi por que?".
Sei lá, gente... Acho que eu passei muito tempo da minha vida me dedicando a minhas feridas platônicas... Desejando caras que nunca estiveram nem tchum pra mim, caras que faziam piadas pelo meu jeito de andar, por eu ser gorda, feia, sem pescoço... Que nunca vi nenhum cara apaixonado por mim de verdade... Nunca consegui acreditar quando alguém se declarava, pra mim sempre era mais uma piada... Pra mim eles sempre me esconderiam de todos...
Depois da aposta, esse cara me pediu 3 vezes pra ficar comigo... Não sei se era mais uma aposta também, né?
A primeira foi na mesma semana... Acho que ele achou que era gostoso demais... Que ficando comigo eu esqueceria toda a mágoa que ele provocou... Eu disse que não queria... Que era, com certeza, mais uma brincadeirinha de péssimo gosto... Ele pediu pra eu olhar nos olhos dele, pra ver se ele tava mentido... (O CLÁAAAAAAAAAAAAAAAAAAAASSICO "OLHA NOS MEUS OLHOS E VÊ SE EU TÔ MENTINDO..."), eu olhei... não achei sincero e fui embora... todas as minhas amigas me chamaram de besta...
Na segunda vez foi no nosso último dia de aula... Eu queria muito ficar com ele, mas o orgulho ferido, sabe?
Na terceira foi em uma conversa recente com ele por msn (minha noção de recente... tem quase 3 anos... Foi no mesmo dia do meu primeiro beijo, que irônico!)... Eu contei pra ele nossa história da forma que eu conhecia e que eu achava que ele precisava conhecer... Contei tudinho... todos os olhares a mais que dei pra ele, o quanto eu sonhava... e como ele destruiu tudo isso com a maldita aposta...
Ele me pediu pra esquecer, disse que foi um estúpido e me convidou pra sair, ir a praia ou ao cinema (de novo se achando gostoso demais... "fica comigo, pra minha consciência ficar tranquila", foi isso que imaginei ele pensando)... Eu disse que não. Ele achou que eu tava contando aquela história toda pra tentar ficar com ele e eu esclareci os fatos: "Eu só queria te contar uma parte da tua história em minha vida... Não tô chateada, não quero ficar com você... Eu só precisava fazer você entender...".

_____________________________
* Originalmente publicado em 15 de junho de 2012.
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Quem escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas pode me chamar de Sol que eu gosto... Acho até que quando as pessoas me chamam de Soraya é um sinal claro de que estão zangadas comigo, sei lá. Só pessoas afastadas me chamam pelo nome... e chefes... e meus pais.. Tenho 30 anos (não parece, né?), muito apaixonada por tudo o que faço (BIBLIOTECONOMIA! BIBLIOTECONOMIA!)... Amante de livros e sentimentos sinceros.

Comente com o Facebook e com sua conta Google: