Páginas

[Reblogando] Com direito a romantismo...

Fonte de imagem: Mailine - Fotolog 
Uma das coisas mais chatas do pouco tempo pra namorar, é ter que encontrar o outro sem programação exata... A vantagem é que só estar junto e matar a saudade basta!
Assim, eu e Meu namorado nos encontramos no sábado.
Sem nenhuma programação!
Resolvemos nos ver porque, simplesmente, no domingo não daria. Ele tinha uma programação importante pra ir da Igreja, e eu tive que aceitar... Ou isso, ou nada.
Encontrei o Meu namorado embaixo de um céu que ainda tinha estrelas...
"O que a gente vai fazer?" - Perguntei, como sempre esperando sentar em algum lugar pra conversar e me atracar ao pescoço do "meu moço" (ROCHA, 2013).
"A gente vai andar de mão dada" - Olho pra ele sem acreditar... 
"Tu quer é me exibir, é? Que graça tem isso de só andar?? Eu quero sentar! Eu quero namorar! Quero beijar na boca! Quero ser agarrada..." - Disse eu, como sempre fazendo manha!
Meu namorado apenas ri de mim o tempo todo... Minha impaciência o diverte. E o faz me provocar sempre mais!
"E vai chover! Aí tu vai correr pra casa!"
"Vai não, o céu tá limpinho, Sol! Larga de história...".
Aí, a gente tava no meio do caminho, caiu um toró...
E ele não correu, não reclamou... Apenas segurou o guarda-chuva e me apertou forte em seu peito me protegendo... E assim ficamos a noite QUASE TODA!
Já que ninguém tava olhando... Também demos longos beijos daqueles que só se dá no começo do namoro, quando a vontade de estar com o outro é muito grande! Quando há aquela NECESSIDADE de sugar um pouco da alma da pessoa, sabe?
Alguém disse uma vez que beijo é isso... troca de informação, de fluidos espirituais, de energia... Beijar na boca é doar-se um pouco pra vida do outro, pra fazer parte dela... É o desejo de ficar! Nunca entendi quem beija sem amor... Porque eu beijei uma vez, e não vi sentido... Enfim!
Creio que a distância e o pouco tempo faz isso com a gente... Torna os momentos juntos mais prazerosos...
E nos cega pro que antes era muito importante. O Meu namorado é muito chato com essa coisa de namorar na rua e foi tão romântico, pela chuva, por ele não se importar dos carros passando, das pessoas correndo, das casas em frente ao local onde a gente tava ter gente... Meu namorado esqueceu que existia pessoas no mundo além de nós dois... Não se importou com o horário (milagrosamente ele não puxou um só segundo o celular pra ver a hora... Estranhamente quem puxou foi eu), não se importou com a chuva... Era só eu e ele, tanto que ele perguntou se eu tinha acordado, depois de um beijo (quando ele, por acaso, tirou o guarda-chuva da minha cabeça, me assustando com o fato de que tava chovendo).
Acho que esse dia vai ficar na minha cabeça pra sempre... Vou contar pros meus netos como sendo o dia mais romântico da vida dos avós deles... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Foi perfeito... Merece um capítulo de livro, com direito a música do Six Pence! Sério, cara... Os atores estavam bem posicionados em uma arquibancada de um campinho abandonado, embaixo de árvores, chovia e as falas também foram perfeitas e bem cronometradas!
Ah, poxa... Não caiu nem raio, nem teve trovão!!!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Só queria dividir um pouco da mágica de meu namoro... Momentos tão raros que eu queria todos os dias....
______________________________
Postado por Blogger no Bibliotecária Escandalosa em 31/03/2013
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Sobre a louca que escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas me chamam de Sol! Tenho 31 anos, estou tentando me reapaixonar por tudo o que escolho... Sou formada em Biblioteconomia, recém-convertida católica (ainda que batizada desde 1995), estou aprendendo a lidar com a ansiedade e tenho pensado em tentar falar sobre a luta e o aprendizado diário... Viver requer paciência, e eu não tenho.