terça-feira, 29 de abril de 2014

Bate-papo temático - "Padizê, né?" com Ruan Marcus*

Fonte de imagem: Mulek.com
E do que o mundo precisa?
Mais amor e menos religião....
Acho que o mundo precisa de pessoas que sejam mais sinceras consigo mesmas e com os outros nada desse negócio de eu amo todo mundo, eu sou bonzinho, etc.
Acho que o mundo precisa de mais carinho e menos falsidade... As pessoas são falsas demais... E confundem carinho com educação...
Sei lá!
Acho que deveríamos ser mais honestos com nossos sentimentos...
Acho que o mundo seria melhor se as pessoas parassem de disfarçar que gostam de alguém quando na verdade não estão nem aí
Sabe porque digo isso??
Acho que sim... As pessoas estão mais preocupadas consigo do que com o próximo... Há muita preocupação de "padizê".
'Padizê'?? Explica isso...
"Padizê" é uma coisa que eu falava quando era criança, brincando de boneca... "Padizê que eu tenho carro, né? Padizê que isso aqui é meu carro, tá?"... É quando a gente usa muito a imaginação e tenta convencer o outro de que aquilo existe.
Ah, sim! "Padizê" que gosto de todo mundo vou fazer isso, vou fazer tudo pra agradar as pessoas, etc 
É isso mesmo!
Às vezes alguns amigos que eu tenho e alguns familiares ficam dizendo: "Ah, porque tu não fala com fulaninho de tal, etc, etc"... Se eu não me sinto bem, porque sou obrigado a falar?
Isso é muito desagradável, ter que fingir algo por conveniência.
Já me decepcionei com muitas pessoas por causa disso.
Eu também...
Tem gente que vive de Padizê em excesso...
Outro dia escrevi no face que a gente vive tanto pra outros, por outros, que já não sabemos quem somos.
É por isso que não somos nada.
Acho que o mundo precisa de pessoas de verdade
Respeitar seus próprios sentimentos é um passo importantíssimo pra tornar o mundo um lugar melhor.
O "padizê" é mantido por todos nós quando fingimos gostar de algo ou alguém.
O "padizê" era uma coisa que deveria ter sido deixada na infância...
Eu acredito que o "padizê" da infância é só um ensaio para o da vida adulta. Quando somos crianças não ligamos muito para o que os outros pensam, a gente acaba fazendo muito coisa 'de criança'. No "padizê" da infância a gente já vai aprendendo que a gente pode fazer com que algo pareça outra coisa que não é, aprendemos a disfarçar!
O que tu acha?
Acho que deveríamos parar de brincar com a vida e com as pessoas... Seria mais fácil!
Mas será que o mundo precisa apenas de uma mudança de postura? Será que ele precisa só de menos "padizê"?
Pela aparente "organização" que o mundo tem hoje, um pouco menos de "padizê" será suficiente, para pelo menos diminuir as mazelas.
Se, por exemplo, o dinheiro que o governo investe na copa, em eventos, obras só de "aparência"  (padizê que o Brasil é 'desenvolvido' nem sei quem inventou esse tal de desenvolvimento) e fosse investido em educação isso já melhoraria alguma coisa.
Não sei se fui claro, mas esse é meu ponto de vista...
Parar de "padizê" que somos felizes e lutar pra ser...
Parar de "padizê" que somos honestos e começar a ser...
Encarar a vida com maturidade, e parar de brincar de faz de conta... Não estamos bem! Pra quê fingir que tá tudo perfeito?

________________________
* Ruan Marcus é meu miguxo de trabalho. Estudante de psicologia pela Universidade Federal do Maranhão e autor do blog "Confissões de um jovem solteiro".
** Publicado originalmente em 16 de julho de 2012.
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Quem escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas pode me chamar de Sol que eu gosto... Acho até que quando as pessoas me chamam de Soraya é um sinal claro de que estão zangadas comigo, sei lá. Só pessoas afastadas me chamam pelo nome... e chefes... e meus pais.. Tenho 30 anos (não parece, né?), muito apaixonada por tudo o que faço (BIBLIOTECONOMIA! BIBLIOTECONOMIA!)... Amante de livros e sentimentos sinceros.

Comente com o Facebook e com sua conta Google: