terça-feira, 8 de abril de 2014

Dica de leitura - Presentes da vida (Emily Giffin)


Uma das características de Emily Giffin é o tom meio meloso de narrar das personagens. Em "Presentes da vida" a autora vem com um diferencial: o tom irônico e o humor da personagem Darcy Rhone.
Darcy é uma personagem de uma outra história da autora, história essa que virou filme e já foi indicada aqui (Dica de filme - O noivo da minha melhor amiga). Na verdade, podemos dizer que a história de Darcy começa depois do final do primeiro livro (não li o primeiro). A partir do momento em que a amizade dela e da Rachel acaba.
Eu gostei muito do livro... Fala de amizade, desespero, erros, arrependimentos... Tudo de uma forma muito real e sincera.... São situações que a gente acaba se imaginando, saca?
Meu destaque vai pra página 300, em que a autora descreve o novo namorado da Darcy como uma versão madura do Hugh Grant e hétero do Rupert Everett... Ou seja, o cara era perfeito, né? 
Aiaiai...

SINOPSE (via Skoob)
Darcy Rhone sempre teve todos os homens aos seus pés. Tinha um emprego glamouroso, um seleto círculo de amizades e um noivo perfeito, Dexter Thaler. No entanto, tudo mudou quando Darcy se envolveu com o melhor amigo de seu noivo... Seu noivado acabou e perdeu sua melhor amiga, Rachel. Incapaz de assumir responsabilidades e de enfrentar todo esse mal-estar, Darcy foge para Londres, para a casa de um amigo de infância, imaginando que poderia passar uma borracha em tudo isso. Mas, para seu desânimo, Londres se torna um mundo estranho, onde seus truques de sedução não mais funcionam e onde sua sorte parece ter se evaporado. Sem amigos nem família, Darcy precisa dar novo rumo à sua vida e, assim, começa uma linda trajetória rumo ao crescimento e ao amor.
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Quem escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas pode me chamar de Sol que eu gosto... Acho até que quando as pessoas me chamam de Soraya é um sinal claro de que estão zangadas comigo, sei lá. Só pessoas afastadas me chamam pelo nome... e chefes... e meus pais.. Tenho 30 anos (não parece, né?), muito apaixonada por tudo o que faço (BIBLIOTECONOMIA! BIBLIOTECONOMIA!)... Amante de livros e sentimentos sinceros.

Comente com o Facebook e com sua conta Google: