Páginas

Chorei por ser de vidro... Como minhas amizades*

Fonte de imagem: Fragmento da CHPZ
Muito venho reclamando de meus amigos...
Algumas pessoas entendem, outras não....
O que rola é que todos percebem que eu não tô bem e viram as costas. Eu não vejo mãos estendidas quando preciso de ajuda, apenas julgamentos, pessoas de fofoquinha e alfinetadas. Aí eu percebi que essa galera que eu chamava de amigos não tem noção alguma de como eu tô mal agora...
Outro dia encontrei um e ele não perguntou como eu estava só me anunciou a novidade: "eu preciso dizer [tipo, minha língua não se aguenta dentro da boca e eu posso morrer se eu não te colocar pra baixo agora], mas tu tá gorda menina!".
Eu escrevi uma postagem sobre isso (Retalhos do facebook - Amigo balança é um inimigo disfarçado!)... O fato é que depois do ocorrido eu tenho analisado minhas amizades, às vezes calada, outras não.
Creio que a maior parte das pessoas que ofendi com verdades (a forma como eu as vejo ou vejo o problema delas), eu ofendi porque elas queriam saber (pelo menos é o que penso quando elas me perguntam algo e pedem pra eu ser sincera sem medo). 
Ah, doce ilusão de que se pode ser sincera com uma amiga quando ela pede...
Enfim, me choquei com o fato de que a pessoa não poderia viver sem dar uma opinião que eu não pedi. Eu não sou do tipo que pergunta "Tô bem?", "Gostou dessa roupa em mim?", "Tu acha que eu tô gorda?", "Tô bonita?"... Eu nunca tive necessidade de saber e fico muito mal quando me contam. Não me sinto bem com essas informações (mesmo que elas sejam mentiras positivas!).
Enfim, isso me fez ficar pensando em tudo... em todas as minhas amizades e as respostas a perguntas que eu não fiz... as inúmeras vezes que sou ignorada, deixada de lado, em último lugar... as muitas vezes que fui rotulada como forte e deixada de lado com minhas dores... as inúmeras vezes em que estive doente e não recebi uma simples ligação... Coisas pequenas e que antes não eram importantes hoje são!
Eu mudei.
Eu estou mostrando agora que sou de vidro e ninguém se aproxima... Será medo de quebrar essa criatura frágil que hoje sou?
Todos se afastaram, deram as costas, não se importam se estou doente, mal...
Eu encontro pessoas interessadas não em mim, mas na esperança de me ver derrotada, ver que desisti, perdi ou, finalmente vou morrer!
Eu estou cansada dessas amizades!
Chorei nos últimos dias... Chorei muito por perceber que não tenho amigos de verdade! Amigos sem interesses! Amigos dispostos a me encontrar só pra ME OUVIR por alguns segundos...
Chorei muito por ver que ninguém está disposto a me ajudar quando preciso...
Chorei por perceber, finalmente, que confiei nas pessoas erradas... E fiz escolhas erradas a vida toda.
Chorei porque doeu ver que as amizades que eu tinha não eram de verdade.
Chorei porque eu hoje preciso do abraço que ninguém quer dar, e que antes eu recusava.
Chorei por ser de vidro... Frágil como minhas amizades!
_____________________________
*Não vou ler isso por ser longo e porque vai rolar auto-censura... rsrsrs Postado em 10 de fevereiro de 2013.
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Sobre a louca que escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas me chamam de Sol! Tenho 31 anos, estou tentando me reapaixonar por tudo o que escolho... Sou formada em Biblioteconomia, recém-convertida católica (ainda que batizada desde 1995), estou aprendendo a lidar com a ansiedade e tenho pensado em tentar falar sobre a luta e o aprendizado diário... Viver requer paciência, e eu não tenho.