domingo, 3 de novembro de 2013

[Reblogando] A BV de 21 anos: a saga de um beijo

Fonte de imagem: Ambrósia
Uma coisa que ninguém consegue entender até hoje é o por quê do meu primeiro beijo ter demorado tanto. Não sei, mas acho que as pessoas contavam as horas da minha BEVIRGINDADE na mão... 
BV, pra quem não sabe, é Boca Virgem. O que significa dizer que eu não dei meu primeiro beijo antes dos 21 anos. Sim, caro leitor, eu esperei isso tudo pacientemente, e só dei meu primeiro beijo com essa idade por pura pressão de meus amigos (ou inimigos... existe uma linha imaginária que separa os dois...). 
Começa assim, na escola, no 3º ano, o povo descobre que sou BV, e o que eles resolvem fazer? Sim! Eles me apostam! 
Legal, né? 
Antes disso eu apenas levava uns foras... Era bem mais legal. Digo mais, diria até que libertador! 
Depois disso, o assunto “Soraya é BV” foi tomar força só no 4º período da minha graduação.Eu paquerava um guri que trabalhava na biblioteca. A gente combinou de ficar numa feijoada, mas foi uma palhaçada. Tá, confesso... No começo foi romântico... A gente andou um pouco pelo Reviver, escadarias fedendo a mijo, casas velhas ameaçando cair em nossa cabeça... Foi tudo muito romântico... E eu, em minha explosão romântica achei que, de fato seria naquele dia. E seria, se o cara não fizesse biquinho dizendo que eu tava enrolando ele... 
Como não rir de um cara que pede um beijo a uma BV? 
Porra, ele acha que somos BV porque? Excesso de coragem pra jogar nosso amigo Guii na parede e tacar-lhe um beijo? 
Cara, como não rir de um cara que faz um biquinho com coisa de que você, ainda que seja BV, já não tenha dado um selinho por aí? 
Enfim... 
Depois disso... Algumas semanas depois (que BV galinha!), eu fui pedida em namoro pelo coleguinha de trabalho de meu ex-primeiro beijo. E, como disse no começo da postagem, por pura pressão de meus amigos, eu aceitei. 
Cara, o que eu podia fazer? 
Eles tavam me ameaçando! 
Diziam coisas pavorosas como “se você não aceitar, nós te internamos em uma clínica psiquiátrica, te matamos...”. 
Pedi um fim de semana para pensar, e cheguei na segunda pra dizer “não”, mas o medo de ser internada, morta, trucidada por meus amigos queridos que tanto me queriam bem... foi maior... E eu disse sim. 
E, como ele mesmo adora dizer, a gente só ficou passeando de mãos dadas pela UFMA. 
Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk 
Ok, a gente deu 1 (um) beijo e foi só... (táaaaaaaaaa, antes desse primeiro beijo, a gente trocou selinhos pelo acervo, o que não pode ser ignorado, apesar de selinhos eu já ter trocado com várias bocas antes...). 
Depois desse meu primeiro, quase último, e traumatizante beijo... Eu fui beijar de novo só quase 1 ano depois... E, esse sim, foi bom! Tô com esse beijo até hoje... Apesar dele não gostar das minhas mordidas! =P
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Quem escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas pode me chamar de Sol que eu gosto... Acho até que quando as pessoas me chamam de Soraya é um sinal claro de que estão zangadas comigo, sei lá. Só pessoas afastadas me chamam pelo nome... e chefes... e meus pais.. Tenho 30 anos (não parece, né?), muito apaixonada por tudo o que faço (BIBLIOTECONOMIA! BIBLIOTECONOMIA!)... Amante de livros e sentimentos sinceros.

Comente com o Facebook e com sua conta Google: