Páginas

Não gostei - Os sete (André Vianco)

Fonte de imagem: Dear Book
É a primeira história sobre vampiro brasileira que comecei a ler.
Por que falei apenas que comecei a ler e não que eu li?
Porque eu nunca terminei de ler!
O livro é um pooooorre!!!
Tem uma linguagem super cansativa, não conseguiu prender minha atenção de forma alguma...
Como gosto não se discute, peguei uma resenha da internet pra mostrar pra vocês, quem sabe cês leem e gostem da coisa...
Achei a resenha do Dear Book e aqui ela conta que tava relutante em ler o livro:
Confesso que estava relutante em ler o livro, pensando que iria encontrar sempre os mesmos padrões que os vampiros são demonstrados, góticos, americanizados, etc. Porém fui surpreendido, pois os vampiros possuem características distintas e envolventes, que acabam cativando, desde seus princípios (acreditem, alguns possuem!) até as suas visões sobre o novo mundo.
 O livro, até onde li, conta a história de exploradores que se conheciam desde criança. Nadando perto de casa eles descobrem um barco naufragado. Com a ajuda de universitários (kkkk) eles tiram o barco do mar. E é aí que eu parei ler... Então, de volta a resenha do  Dear Book...
Após interessantes acontecimentos, Inverno o primeiro dos imortais a aparecer, se torna um personagem interessante por demonstrar a fúria e a vontade de descobrir sobre o novo mundo à medida que sozinho aprende sobre tecnologia e inovações contemporâneas. Porém, mesmo com um grande poder de destruição, Inverno realmente não deseja se encontrar com o mais temido e misterioso dos sete irmãos, o Sétimo.

Existe um mistério em relação ao sétimo irmão, o mais forte, o mais cruel, o traído... cuja continuação direta desse livro (“O Sétimo”) é voltada a sua ira e vingança... Mas esse já é outro livro... Porém não menos interessante... Hehehe.
“Os Sete” não possui como personagens principais apenas os vampiros, pelo contrario, Tiago, Eliana, Olavo, Delvechio dentre outros têm partes fundamentais que enriquecem essa estória, criando segmentos a fim de estruturar a narrativa para o leitor obter todas as sensações que o autor deseja demonstrar.
O Leonardo Rios, quem escreveu a resenha, encerra dizendo que adorou o livro...
Deu até vontade de tentar ler isso outra vez...
Mas, o livro continua no "não gostei" pela linguagem chata!

Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Sobre a louca que escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas me chamam de Sol! Tenho 31 anos, estou tentando me reapaixonar por tudo o que escolho... Sou formada em Biblioteconomia, recém-convertida católica (ainda que batizada desde 1995), estou aprendendo a lidar com a ansiedade e tenho pensado em tentar falar sobre a luta e o aprendizado diário... Viver requer paciência, e eu não tenho.