terça-feira, 28 de maio de 2013

Dica de leitura - A garota americana (Meg Cabot)


Olá, pessoas...
Hoje vim falar de um livro que terminei... Tcharam! HOJE!
A garota americana é o primeiro livro de Meg Cabot que eu li e gostei tanto do estilo da autora que eu já tratei de comprar O diário de uma princesa!
Comprei um livro há um tempo e, confesso, não tava muito animada pra ler não... Apesar de todas as recomendações fervorosas de Natyara Carvalho que ficava dizendo que eu ia adorar, que Meg Cabot tem um estilo que combina muito comigo (reparei, hein, Natyara... Tu me chamou de reclamona!).
Eu estou apaixonada por Meg Cabot!

SINOPSE (via Skoob)
A garota Americana acompanha o cotidiano de Samantha, uma típica garota americana, que leva uma vida muito parecida com a de tantas outras meninas de sua idade. Até que um dia resolve matar aula de arte e, por acaso, salva o presidente americano de uma tentativa de assassinato. Samantha logo vê sua vida virar de cabeça para baixo ao ser nomeada embaixadora da ONU, sem saber exatamente o que o cargo significa.
A garota americana me conquistou desde o comecinho... A Sam não é uma menina boba romântica cheia de "Oh" e complexos... Ela é louquinha. Fã do No Doubt, apaixonada por arte, a esquisita da escola que pintou todas as roupas de preto pra protestar contra alguma coisa... A esquisita por acaso salva o presidente dos EUA e do dia pra noite vira celebridade e se torna a garota mais popular do colégio.
O que acho engraçado é que pra tudo a Sam tem listas e teorias (o fato dela ser canhota, por exemplo, ela justifica com a teoria de que antes de nascermos, tínhamos um gêmeo, um irmão que nos completa. E por isso ela sente um vazio e por isso ela é canhota! Outro exemplo massa, é a história de que os filhos do meio são os menos amados e os mais sem graça... Nisso eu concordo: eu sou a filha do meio).
Ah, a Sam é apaixonada pelo cunhado dela, outro detalhe que deixa a história muito engraçada. Porque tudo pra ela é que o namorado da irmã gosta dela também, só ainda não percebeu isso, mas, quando ele percebesse largaria a irmã no ato pra ficar com ela.
Ah, e tem ouuuuutra coisa massa também... David....
ME CALEI!!!

"Só que, pensando bem, o fato de eu ser canhota indica que provavelmente tive, a certa altura, uma irmã gêmea. Pelo menos de acordo com um artigo que li no consultório do dentista. Segundo uma teoria aí, a maior parte dos canhotos começou a vida como metade de um par de gêmeos. Uma em cada dez gravidezes começa com a gestação de gêmeos. Uma em cada dez pessoas é canhota.
É só fazer as contas.
Durante um tempo, achei que minha mãe nunca tinha mencionado minha irmã gêmea morta para não me magoar. Mas daí li na internet que em 70% das gravidezes que começam como gestação de gêmeos, um dos bebês desaparece. Assim mesmo. Puf! Isso é conhecido como a síndrome do gêmeo desaparecido, e geralmente a mãe nem percebe que estava carregando dois bebês em vez de um só, já que o outro desaparece tão no começo da gestação."
"Parada ali, não pude evitar sentir pena de mim mesma.Tipo assim, lá estava eu: 15 anos, canhota, ruiva, sem namorado, incompreendida, filha do meio rejeitada, dura, parada na chuva depois de ter cabulado a aula de desenho porque não suporta críticas."
“Não tenho ninguém para chamar de meu. É sério. As pessoas que têm relações românticas simplesmente vivem mais do que as solteiras.”
“Eu não entendo. Ela namora um artista e, mesmo assim, os dois nunca conversam sobre arte? Fala sério, se algum dia eu arrumar um namorado, nós vamos conversar sobre tudo. Até sobre arte. Até sobre vaginas.”
“Às vezes o que você quer está na sua frente. Só é preciso abrir os olhos e enxergar.”
“Eu era cheia de opiniões a respeito das coisas, com certeza. O que eu não tinha era muita segurança para expressá-las para alguém que não fosse da minha família nem meu amigo.”
“Conforme eu ia me esgueirando pelo meio daquela multidão rodopiante e às gargalhadas, pensava comigo mesma: É isso que eu estou perdendo por fazer parte do grupo das pessoas nada populares? Casas abarrotadas de gente barulhenta e insuportável, com uma musica que martela a sua cabeça e que nem dá para entender a letra? Francamente, preferia estar em casa assistindo desenho animado e comendo sorvete.”
SOBRE A AUTORA (via Skoob)
Meggin Patricia Cabot, mais conhecida pela abreviação Meg Cabot ou Patricia Cabot ou pelo seu pseudônimo Jenny Carroll (Bloomington, 1 de fevereiro de 1967), é uma escritora estadunidense.
É mundialmente famosa por ser autora de mais de 60 livros, dentre os quais seu maior bestseller é a série de dez volumes O Diário da Princesa. Atualmente Meg vive com seu marido e sua gata de um olho só chamada Henrietta em Nova Iorque.
Quando jovem, Meg passava horas a fio lendo as obras completas de Jane Austen, Judy Blume e Barbara Cartland. Munida com seu diploma de graduação em Artes na Universidade de Indiana, Meg se mudou para Nova Iorque, com a intenção de seguir uma carreira de ilustradora autônoma. A ilustração, entretanto, logo cedeu lugar à verdadeira paixão de Meg - a composição literária
Espero que vocês tenham gostado.
Eu comprei o livro na edição Vira-vira. Vem o A garota americana e o Quase pronta, que é a continuação do A garota americana. Já comecei a ler Quase pronta. Todo mundo disse que o segundo livro é uma bosta, então... Não criei expectativa.
Depois falo sobre ele.
Beijo!
_________________________
♫ Sixteen - No Doubt 
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Quem escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas pode me chamar de Sol que eu gosto... Acho até que quando as pessoas me chamam de Soraya é um sinal claro de que estão zangadas comigo, sei lá. Só pessoas afastadas me chamam pelo nome... e chefes... e meus pais.. Tenho 30 anos (não parece, né?), muito apaixonada por tudo o que faço (BIBLIOTECONOMIA! BIBLIOTECONOMIA!)... Amante de livros e sentimentos sinceros.

Comente com o Facebook e com sua conta Google: