Páginas

[Dica de filme] 500 dias com ela

Fonte de imagem: Adoro Cinema
Assisti esse filme por indicação da minha irmã... E me identifiquei totalmente nos primeiros 10 minutos de filme porque acabei de ter um relacionamento que não era relacionamento bem parecido com o que os personagens da história viviam (tipo, a gente ficava, mas não ficava... Porque ficar é uma coisa muito descompromissada e não somos desse tipo, mas também não namorávamos, porque é compromisso demais e a gente não queria ter nada no momento... Embora, quem olhasse a nossa necessidade de fazer as coisas juntos e as ligações da madrugada só "pra ouvir sua voz", seria capaz de jurar que casaríamos, sabe?).
Hummmm.... Enfim...
O filme sempre fica mais interessante quando a gente vive e sente as mesmas coisas que os personagens... No meu caso, sou o Tom. Ainda estou tentando entender qual é da Summer, mas juro que se ela casar com outro.... CREC. (imaginem meu dedinho passando pelo pescoço... embora eu não tenha pescoço).
Enfim... o filme é indicado para relações não definidas e complicadas... Amores platônicos que são ruins de explicar porque são isso.
Ai, meninas... e o ator é muito gatinho, viu?

SINOPSE
Tom Hansen (Joseph Gordon-Levitt) está em uma reunião com seu chefe, Vance (Clark Gregg), quando ele apresenta sua nova assistente, Summer Finn (Zooey Deschanel). Tom logo fica impressionado com sua beleza, o que faz com que tente, nas duas semanas seguintes, realizar algum tipo de contato. Sua grande chance surge quando seu melhor amigo o convida a ir em um karaokê, onde os colegas de trabalho costumam ir. Lá Tom encontra Summer. Eles também cantam e conversam sobre o amor, dando início a um relacionamento.
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Sobre a louca que escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas me chamam de Sol! Tenho 31 anos, estou tentando me reapaixonar por tudo o que escolho... Sou formada em Biblioteconomia, recém-convertida católica (ainda que batizada desde 1995), estou aprendendo a lidar com a ansiedade e tenho pensado em tentar falar sobre a luta e o aprendizado diário... Viver requer paciência, e eu não tenho.