Páginas

[Dica de filme] Frozen - uma aventura congelante

Fonte de imagem: Cinema
"Amar é colocar as necessidades de alguém acima das suas"
Olá, pessoinhas...
Vim só indicar um filme que achei massinha, ó.
O nome do filme é "Frozen - uma aventura congelante". Eu pensei que me decepcionaria com ele, como foi com "Encantada" e como é com a maioria dos filmes de animação da Disney, mas o filme foi fofo sem ser chato pra caramba.
O filme conta a história de amor entre irmãs, o que é algo inédito pra mim. Não que não exista amor entre irmãs, isso existe (e eu amo as minhas), mas essas histórias tendem a destacar a concorrência entre irmãos e sempre colocam alguém como vilã ali.... Sempre é algo muito chato. No filme, Anna ama muito a irmã mais velha e quer sempre estar com ela, assim como Elsa (a tal irmã mais velha). Mas por uma questãozinha elas não podem ficar juntas... E o filme todo mostra a Anna correndo atrás da Elsa porque só quer estar do lado dela e tals...

Assiste o filme! 
Fica mais fácil entender.

Beijo!

SINOPSE (via Adoro Cinema)
A caçula Anna (Kristen Bell/Gabi Porto) adora sua irmã Elsa (Idina Menzel/Taryn Szpilman), mas um acidente envolvendo os poderes especiais da mais velha, durante a infância, fez com que os pais as mantivessem afastadas. Após a morte deles, as duas cresceram isoladas no castelo da família, até o dia em que Elsa deveria assumir o reinado de Arendell. Com o reencontro das duas, um novo acidente acontece e ela decide partir para sempre e se isolar do mundo, deixando todos para trás e provocando o congelamento do reino. É quando Anna decide se aventurar pelas montanhas de gelo para encontrar a irmã e acabar com o frio.
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Sobre a louca que escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas me chamam de Sol! Tenho 31 anos, estou tentando me reapaixonar por tudo o que escolho... Sou formada em Biblioteconomia, recém-convertida católica (ainda que batizada desde 1995), estou aprendendo a lidar com a ansiedade e tenho pensado em tentar falar sobre a luta e o aprendizado diário... Viver requer paciência, e eu não tenho.