sexta-feira, 4 de julho de 2014

[SAL] As perguntas que mais me fazem.


  • Você disse que está namorando, mas no seu face você aparece como solteira.
Eu não estou namorando. Comecei a sair com um cara (que eu prefiro preservar a identidade, porque ele não é fã da "forma como eu me exponho") e fiquei super apaixonada por ele e tal... Mas ele sempre me coloca em último plano... Pelo que eu entendi, ele não quer namorar ninguém agora, quer focar no futuro dele, nos planos e tal... Por isso lá não tem "namorando". Tá solteira porque eu estou solteira. Mas eu me sinto presa a ele, ligada ao que eu sinto... Coisa idiota de moça imatura.


  • Você abandonou o blog?
Não... Apenas estou com pouco tempo pra postar. Só que sempre que eu tenho um tempinho venho e escrevo uma coisa que eu coloco no rascunho. Às vezes frases pra eu lembrar o que é pra escrever... Ou, na loucura, escrevo no facebook mesmo!


  • Como está o seu coraçãozinho?
Tá fraco. Mas já fui ao médico.


  • Por que você sumiu?
Eu não sumi. Estou on no face o dia todo. Só... me calei um pouco. Mas, se você falar lá no inbox, sempre vou responder.


  • Passou no concurso?
Não... Mas a luta continua.


  • Acha que o mercado de trabalho da Biblioteconomia é bom?
Não. Estou há 1 ano procurando emprego e não consigo. Além das vagas serem poucas, geralmente o povo consegue emprego por QI. Quase não se vê seleção para bibliotecários. Agora, para estagiários... rsrsrsrs. Às vezes penso que minha vida seria mais fácil se eu tivesse continuado na graduação.


  • Se o seu ex-namorado pedisse pra voltar, você voltaria?
Acho que ele está feliz onde e com quem está. A volta é uma coisa que eu parei de pensar com 1 mês do fim do namoro. Queria muito a nossa amizade de volta e tentei isso, mas parece impossível também (pra ele).


  • Uma vez você disse que via gente morta. Com que frequência? Rsrsrsrs Brincadeira! Como é isso?
Eu não vejo... Na verdade, vi uma vez só. Vi meu avô do lado da minha cama na semana em que ele morreu. Eu sempre senti, mas ver é algo muito tenso, dá medo! Quando eles se aproximam, parece que você perde o ar, perde os movimentos... É como se você estivesse amarrada com alguma coisa prendendo sua boca. É a pior sensação do mundo... Muito parecida com aquilo que você sente quando alguém aperta seu pescoço e você vai perdendo aos poucos os sentidos.


  • Você não acha que suas postagens combinam pouco com a vida que você quer seguir?
Só o fato de serem MINHAS postagens já significa que elas combinam perfeitamente com a vida que eu estou seguindo.


  • Você conseguiria viver um relacionamento sem sexo?

Eu vivo vários relacionamentos sem sexo. Rsrsrsrs. Agora, se você quer saber de namoro... Depende do comportamento do rapaz. Eu tenho sérias crises de consciência com relação ao sexo. Acho que por uma questão de criação mesmo, eu acabo cheia de conflitos internos, negando pra mim mesma meu próprio desejo e tal. Meu comportamento no quarto é diferente do comportamento em redes sociais, eu sou menos aberta... Já cheguei a ficar mais de 6 meses sem fazer, só porque achava errado, por ter sido criada achando que o sexo deveria ser feito apenas depois do casamento. Mas varia de momentos... Acho que quando o casal se acostuma a viver sem, ele consegue. Agora, uma vez que ele faz... Num dá pra imaginar um encontro sem, né? É que depois que você liga o fogo, é difícil não incendiar... Enfim... Deixa pra lá.
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Quem escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas pode me chamar de Sol que eu gosto... Acho até que quando as pessoas me chamam de Soraya é um sinal claro de que estão zangadas comigo, sei lá. Só pessoas afastadas me chamam pelo nome... e chefes... e meus pais.. Tenho 30 anos (não parece, né?), muito apaixonada por tudo o que faço (BIBLIOTECONOMIA! BIBLIOTECONOMIA!)... Amante de livros e sentimentos sinceros.

Comente com o Facebook e com sua conta Google: