Páginas

#Fikdik - Coisas que me irritam nos blogueiros, twitteiros...

Fonte de imagem: Meus momentos de lucidez
"Me segue que eu te sigo" é o tipo de campanha que visa números e não qualidade. E eu não suporto ser vítima dela.
Eu não tenho coragem de pedir seguidores pra meu blog, nem twitter, perdi até mesmo a coragem de convidar pro face. 
Não sou seca por comentários, retribuo só quando realmente tenho algo a falar e odeio receber comentários vazios de alguém que visivelmente não leu e não tem interesse pelo que escrevi e escrevo...
Tipo, porra, no meu blog tem o botão curtir. Quer só dizer que achou legal, curte ou marca uma reação! =P 
Eu deixo no vácuo e/ou apago comentários do tipo: "LINDO (e variações: MUITO BOM, QUE LEGAL, ADOREI, BOA). RETRIBUI? www.eusouidiota.blogspot.com...". 
Às vezes abro o face e tá cheio de: "comenta/curte/segue meu blog/minha foto/meu post/meu twitter/meu orkut".
Respeito convites, mas não essas "ordens" de quem promete retribuir comentando/curtindo/seguindo algo que nem conhece. 
Recebo muitos elogios (gratuitos) pelo meu trabalho.
Sou feliz de saber que tenho um público real, de pessoas que se interessam de verdade pelo que penso, sinto e escrevo.
Sou feliz de saber que as 147 mil visitas são de pessoas que aceitaram um convite pra conhecer o blog, e não foram forçadas a fazer isso porque prometi retribuir algo. 
Enfim, blogueiros, curtam o amor livre! Leitores de verdade!
Esqueçam isso de "me segue que te sigo", "comenta o meu blog que retribuo" e estupros mentais via inbox e marcações de fotos desnecessárias.
Isso não é interação, é chatice!
Obrigada.
Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Sobre a louca que escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas me chamam de Sol! Tenho 31 anos, estou tentando me reapaixonar por tudo o que escolho... Sou formada em Biblioteconomia, recém-convertida católica (ainda que batizada desde 1995), estou aprendendo a lidar com a ansiedade e tenho pensado em tentar falar sobre a luta e o aprendizado diário... Viver requer paciência, e eu não tenho.